History Within The Things

Posted by Ritchie On 17 de setembro de 2013 0 comentários

Nós temos história... podendo ir até mais longe... nós somos história. Carregamos connosco a história daquilo que somos, a história da nossa família e dos nossos amigos... estabelecemos ligações e pontos de comparações entre todas estas histórias e teremos, certamente, muitas estórias para contar. Umas mais engraçadas, outras ridiculamente embaraçosas, outras felizes e outras tristes e profundamente emotivas mas todos nós somos história pois somos, no presente, o somatório de todas as coisas que nos vão acontecendo, nos moldam e nos fazem ser quem somos.
E os nossos objectos? será uma cadeirão apenas uma cadeirão? Um anel apenas um anel? Uns sapatos apenas uns sapatos? Eu acho que não pois tudo isto pode estar ligado à história que faz de nós quem somos enquanto nos ajuda a construir o individuo que somos.
O cadeirão passou de uma simples peça de mobiliário a ser o sitio onde alguém que muito nos era querido se sentava em vida, o anel que sempre lhe vimos na mão passou a ser algo que nos faz lembrar as mãos quentes que agarrávamos ou os sapatos que eram os seus preferidos usados, quem sabe, em várias alturas especiais que iremos recordar sempre... tudo se tornou de banal a especial.
Todas estas coisas deixaram de ser apenas objectos, passaram a ser o símbolo palpável e a constituir parte da nossa memória que não desaparece, ao contrário de quem infelizmente já o fez.
As pessoas e as situações vivem em nós através da nossa memória mas também através dos objectos que faziam parte dessas pessoas... e quem diz um objecto diz um cheiro, um som, um sabor... algo que, ainda imaterial, nos faz entrar numa espiral de memórias.
Eu acredito no poder destes objectos e existem objectos na minha vida que poderia contar a minha história completa e descrever-me tão bem, ou melhor, quanto mil palavras. Acredito e sinto isto que vos escrevo com toda a minha essência.
Love To You All












Chiado, Childhood and Memories

Posted by Ritchie On 25 de agosto de 2013 0 comentários


Faz hoje 25 anos que desapareceu para sempre um marco único na minha vida... pois a sua reconstrução não trouxe de volta o que era efectivamente o espírito e o glamour que representava o Chiado. 
Por incrível que pareça, e apenas com 4 anos, lembro-me das idas a Lisboa com a minha querida Mãe e com a Minha querida Avó, lembro-me dos Armazéns do Chiado e do seu cheiro característico, lembro-me dos manequins brancos em pose e lembro-me daqueles típicos brinquedos que existiam para as crianças andarem com uma moedinha numa das suas entradas após as escadas.
Nestes últimos 25 anos muita coisa mudou e uma coisa é certa, nunca mais poderei visitar o chiado da mesma maneira pois, no entretanto, a minha avó faleceu e a experiência já nunca, nunca mais poderá ser igual ou aproximada. Ainda tenho comigo a minha querida mãe e espero que por muitos, muitos anos para que continuemos a construir das memórias mais bonitas que tenho.
O chiado e estas idas de comboio a Lisboa são, porventura, das primeiras e mais vivas memórias que tenho da minha infância... talvez seja por isso que seja apegado às coisas e às memórias desta forma, talvez seja pelo chiado que seja alguém tão citadino e tão deslumbrado com uma cidade viva e movimentada. 
Tenho pena que certas coisas não se revivam sem ser na nossa cabeça mas é assim mesmo a vida e sou alguém abençoado por ter tantas e tão lindas memórias de sítios, gentes, pessoas e situações... Não consigo viver a vida de outra forma sem ser assim sentindo-a em pleno...

It Pays Off

Posted by Ritchie On 18 de junho de 2013 0 comentários

A calma e a paciência são duas grande virtudes... responder na mesma moeda é algo que nos dá uma sensação de conforto momentâneo e ilusório, pois nada é feito para resolver uma determinada situação além de a empolar... daí a importância destas duas características. 
São-nos muito úteis, seja em que altura for, e é algo que cada vez mais tenho tentado valorizar e nutrir com o passar do tempo.
Esperança é outra coisa que devemos sempre procurar alimentar e fazer crescer em nós... sem nunca esmorecer. Esperança num dia melhor, num mundo melhor, em pessoas melhores... mesmo quando sabemos que irão sempre existir coisas maiores que nós e que nunca conseguiremos controlar.
Há que relativizar pois as coisas só têm a importância que nós lhes damos e, numa ultima instância, nunca nos devemos esquecer do quão importantes somos e de que devemos pensar sempre que não nos podemos subtrair, seja em que situação for.
A verdadeira ciência, essa agora, está em conseguirmos fazer isso tendo preocupação com os outros, mesmo que não a tenham para connosco, e tentar minimizar ao máximo os danos colaterais que isso possa criar sem levar tudo à nossa frente. Somos importantes sim... mas não a todos os custos.
Afinal de contas, cada um pode dormir como quiser mas eu prefiro deitar a minha cabeça na almofada e senti-la leve. E vocês?
Love To You All







Switching Thought Directions

Posted by Ritchie On 21 de maio de 2013 0 comentários

Ouvi numa das minhas séries de eleição dizerem algo como "se queremos cinco coisas na vida e já alcançámos quatro delas, porquê deixar de viver plenamente a pensar na única coisinha que falta na lista". Agora pergunto... e se a coisinha que falta na lista for mais importante do que todas as outras juntas? se implicar criar-mos, com isso, uma lista muito maior do que uma com apenas cinco coisas?
Love To You All


Come and Sit Next to My Thoughts

Posted by Ritchie On 6 de abril de 2013 0 comentários

Realmente acredito que nada na vida é por acaso... tudo lá terá a sua razão de ser e tudo estará ligado de alguma maneira, embora que muitas vezes a mesma nos seja desconhecida.
Outra coisa em que acredito é que tudo vem, e vai, com o tempo e que as coisas más da vida têm sempre o seu reverso e o seu lado intrinsecamente bom, por muito difícil que seja vê-lo em certas alturas.
A paciência, e o perceber que não devemos esperar que as coisas sejam para connosco como nós fazemos com que sejam para com os outros, é uma das coisas mais infalíveis e mais imutável que me tenho apercebido e sentido ao longo da minha vida... o que certamente funcionará da mesma maneira para tantos outros que possam ler e compartilhar estas minhas palavras sem que as mesmas originem nenhuma epifania, ou não fosse isto um assunto sobejamente pensado por tantos, e tantos, de nós.
As pessoas, eu incluído,  não mudam... apenas se limitam a evidenciar ou minimizar aquilo que já são com determinadas condições que o permitam fazer, ora de uma maneira ou de outra. O mundo também não pára e o tempo depois de perdido e passado também já não se pode reaver. Independentemente das vicissitudes da vida, das pessoas e situações... todos deveríamos treinar-nos para perceber que o mundo é mais que o nosso umbigo e que estamos aqui para fazermos mais do que apenas por nós... sem arrependimentos. Essa é uma outra coisa em que realmente acredito: que quando as coisas são feitas pelas razões certas, mesmo que o resultado final seja diferente do que pensámos ou idealizámos, não nos devemos nunca de arrepender.  

Mas quem sou eu para falar seja do que for? Não sou mais nem menos que ninguém e a minha opinião é apenas válida para mim... seja como for, há dias em que temos que falar, seja lá ele do que for e mesmo que quem leia ou oiça não nos perceba...
Love To You All







Camélias

Posted by Ritchie On 25 de março de 2013 0 comentários


Entrei na Sociedade União Sintrense com esta luz maravilhosa e não se ouvia rigorosamente mais nada sem ser os meus passos no soalho de madeira...

Parei por algum tempo a absorver a avassaladora energia, alma e a vida que aquele local transmite mesmo estando completamente vazio.
Incute um grande respeito passar por entre as camélias que foram caindo sabendo que cumpriram heroicamente o seu papel na noite anterior. Uma noite de Sucesso como Sintra merece. Há poucas coisas na vida que me dêem tanto orgulho como fazer um pouquinho de parte da historia desta casa e este dia depois da festa sempre foi um dos mais especiais para mim ao longo dos últimos anos. Amo esta casa como se fosse a minha.
Love To You All


Things to Think

Posted by Ritchie On 26 de novembro de 2012 0 comentários


Há dias em que estar entre quatro paredes se torna muito produtivo se nos soubermos concentrar no que estamos a delinear... o que é certo é que durante quase toda a noite acordei, e acho que sonhei também, com aquilo que comecei hoje a dar forma... espero que possa dizer orgulhosamente que daqui a alguns meses tenha passado de ideia a realidade. 

No percurso do meu dia ainda pensei em duas ou três outras coisas que terão prioridade mas, no entanto, tudo tem que ter um ponto de partida e eu funciono à base de "cliques"... hoje foram bastantes...

Love To You All